Seguidores

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Verbo Amar


Verbo Amar


Nos olhos da noite a íris da luz debrua
O azul noturno desliza na lua, flutua
Sombras, nuvem esparsa desperta
A palavra que acua na fonte liberta.


Nos olhos do dia, a esclera abre caminhos
A aurora espargindo dourados carinhos
Os pássaros azulados movendo cenografias
Com rasantes beijos nas flores quais utopias.


O perfume vespertino inspira e inebria
Traduz com sutileza o sentir que descortina
Alma aponta o cristalino da palavra divina.


Nas mãos do crepúsculo a ilusão contagia
A ponta dos dedos move a espuma do mar
A retina é criativa, profundo é o verbo Amar.

Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®





5 comentários:

  1. Esse verbo, Marli, contagia, como este seu poema. Sonetos são para poucos. Meus cumprimentos.

    ResponderExcluir
  2. Marli querida.. maravillosa poesía... Muchas gracias por tu visita, siempre eres bienvenida.. tqm..Elen

    ResponderExcluir
  3. Lindissimo soneto!! Ricas imagens que ao ler nos enleva em cada verso teu. Teu Blog está ricamente caprichado! Parabéns!!! Beijos

    ResponderExcluir
  4. Como é gostoso praticar o verbo amar.
    Neste soneto está muito bem representado:sugestivamente.
    Beijos; ótimas inspirações!

    ResponderExcluir
  5. Falando de amor


    Essencialmente falando
    de amor
    podemos usufruí-lo
    em dois mundos:
    Horizontal
    e o Vertical.
    Ambos essenciais
    para a nossa felicidade...


    Poeta Francis Perot

    CANTORA DEYSE MARANE PRA VOCÊ...
    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=0-nCaDHGwwA

    ResponderExcluir

Agradeço a visita!
A sua presença e comentário são um privilégio precioso.
Volte sempre é uma honra te receber em meu humilde espaço.
Um beijo de violetas.