Teu Vinho


Teu Vinho

Quando a noite cai nos lençóis
Os teus olhos queimam como sóis
Na pele a marca do desejo revela
O ventre a verdade expressa confessa.

A tua voragem me deixa perdida
Uma ave na tua cepa bem escondida
Ouso em teu tronco um voo rasante
Suspirando pelo teu beijo alucinante.

A cor da paixão é carmim acetinado
A voz perenal é o vinho consagrado
Nos teus olhos toda minha rendição.

A ousadia no amor é sem fronteira
O cartograma assinala a correnteza
És fascínio, o vinhedo da minha perdição.

Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®




 




Comentários

Postagens mais Visitadas

Poema musicalizado "Eu Escrevo"

Plataforma Dourada

Aves Místicas I - A Caçada