Ensaio de uma Fabela --- O Leão e a Gazela

Ensaio de uma Fabela --- O Leão e a Gazela

O leão na hora do sol centrado na savana
Registra o cansaço de correr atrás da gazela
Sem mais resolve  outro ataque adverso
E deita fingindo de morto na savana em brasa.

A gazela em sua corrida percebe a parada
Surpreende-se com o rei deitado, todo esticado
Para e respira incrédula com o sinistro fato
Ora! O rei leão não é assim tão fraco.

Olha distante com a vista apurada e pensa...
Como pode ainda é o meio do dia um leão
Estar assim deitado e deixar a caça tão cedo
Fingindo mal quebrado, mas de olhos espreitados.

Não me engana rei leão que sei bem o teu jogo
Conheço seus dentes quase tocaram o meu osso
Conheço sua juba, conheço seu apetite inesgotável
Vou embora bem rápido sem olhar pra traz como vento.

Não quero virar na savana antepasto de leão
Antes mesmo da noite e ver o apetite deste glutão
Saborear minha carne e virar esqueleto de abutre
Antes mesmo de a dona coruja abrir a portal da lua.

Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®

Comentários

  1. Uma bela estória em forma de Trova! Adorei o poema! Achei muito criativo, parabéns!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Agradeço a visita!
A sua presença e comentário são um privilégio precioso.
Volte sempre é uma honra te receber em meu humilde espaço.
Um beijo de violetas.

Postagens mais Visitadas

Poema musicalizado "Eu Escrevo"

Plataforma Dourada

Aves Místicas I - A Caçada