As minhas mãos...


As minhas mãos...

Olhe para minhas mãos ...Veja os sentimentos
Na minha alma suave de bonança e tormentos
Veja em meus dedos as emoções do anoitecer
Aquelas que me carregam para ti escrever...

 


Olhe em minhas mãos ...Veja na palma pálida
Que tanto contraria a cor da fantasia proibida
Asfixiada pela nostalgia de ser a contemplação
Das cores que decretam as digitais da solidão...

 


Não quero que intérprete meus dedos de tristeza
Os artelhos pintam amanheceres, papel da natureza.
E desperta em meus lábios sorrisos das ilusões olivais.

 


Veja o menear leve dos meus dedos em panfletos
No pulso das finas ilusões as pulseiras dos afetos
Ao dirigir as mãos no coração então... Amo-te ainda mais...

Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®




Comentários

Postagens mais Visitadas

Sutil Feitiço

O céu é de algodão doce.

Tarde Poética

Asas

Perfume de Poesia

O Espantalho

Um perfume de lavanda e um sorriso glacê