A Águia

 
 
 
 

A Águia
Desceu do seu voo amortecida
Abriu a guarda com sua asa ferida
Descobriu logo o ato descuidado
Percebeu ser o alvo frágil, cansado.
 
Olhos da luz solar na escuridão
Amplia a percepção além da ilusão
Ser fraco é andar em água fervente
No clamor da terra a dor é latente.
 
Esconde sua ferida sob a asa
Recolhe suas dores em brasa
O grito da alma, o fogo lacrando
Além dos limites, foca, sai voando...
 
Voa alto e transcende em cristal
No alto penhasco   cria seu portal
De lá olha a terra e o  sol enfim
O despertar puro de voar para mim.
 
Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®
 



 
 

 
 

Comentários

Postagens mais Visitadas

O céu é de algodão doce.

Aves Místicas I - A Caçada

Sutil Feitiço

O Espantalho

Um perfume de lavanda e um sorriso glacê

Mãos e Pés Azuis