Seguidores

segunda-feira, 24 de março de 2014

Resgate do Amor

 

 
 
Resgate do  Amor

Escrevo-te com um tempo
resgatado entre os dedos.

Criando sonhos como baleias nadando
no céu noturno,
ao som das cantigas das estrelas.

Escrevo-te lembrando
 tuas palavras caindo na minha alma.

Como se o céu fosse o mar e a terra fosse um céu,
com as flores e tudo colorido em mil azuis.

Eu mergulho em tua era de beijos,
nadando em direção ao amor.

As minhas braçadas parecem movimentos
desgovernados na lembrança.

A minha respiração um dueto com a imaginação, tentando fazer do presente uma estrela do mar.

E do passado um bote salva-vidas
até as baleias nadando no céu
com as cantigas das estrelas.

Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®
 

 



sábado, 22 de março de 2014

Eu em mim ..



Eu em mim...
Um misto de sutilezas  abrangentes.
O movimento  das mãos se lança   no verso rumo  ao cosmo .
Assim estou como em ribalta movendo palavras e o coração em plenitude poética.
A noite é uma das metáforas mais lindas!
As estrelas caem na alma relembrando  e lançando segredos perdidos no tempo.
O espaço da hora me engole no meio das teclas, a música me aflora continentes que já me sustentaram, até estranho a nova mulher quando em mim me olho.
A caligrafia bordada, a escrita solta, a palavra na ponta dos dedos e na alma o inevitável a Poesia.
Existe em mim um entrelaçamento com a Poesia desde sempre.
Uma dança inabalável, o arquétipo, o magma fluindo.
Um canto ancestral a energia pura.
A inspiração me alimenta, com seu sentido eterno, em sua alquimia minha alma fala de si mesma...
E assim eu sei... 
Estou perfeita com a Poesia em mim.
Marli Franco

Direitos Autorais Reservados®




domingo, 16 de março de 2014

Silêncio


Silêncio
Um silêncio em minha volta me transporta...
Um sentir sem nada para guardar,
como areias voando nas dunas...
Um mutismo na alma,
lembra a cor do deserto.
Os momentos são como um vento ligeiro ,
 as horas lembram miragens no oásis.
O meu interior parece nuvens,
voando no final da tarde.
Perdi o jeito de me olhar,
 flutuando nos rumos do agora.
A canção da ilusão cala minha poesia.
Eu adormeço na noite,
 tentando ler as estrelas.
Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®