Palavra Incontida

(Obra de Vladimir Volegov )

Palavra Incontida

Contemplo o teu olhar em meu passeio
Nas minhas costas sobe e desce cambaleio...
Feito os ventos nas encostas do rochedo
Delicia-se alisando a vontade e o enredo.

No coração vem um sorriso de andança
Feito mel escorrendo na folha branca
Tuas mãos se apertam na lua bandida
Noite de calor na palavra incontida.

Não existe tempo para ir ou vir no agora
Na verdade nem estações leves para pousar
Só passeios doces e desejos pintando no ar.

Os pensamentos em alvorada... Sem demora
O teu olhar noturno desnudou a caminhada.
Gingando descobri, a tua paixão abalada.
Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®




Comentários

  1. Maravilhosa poesia! Parabéns, Marli, a poesia mora em tua alma e coração! Beijos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Agradeço a visita!
A sua presença e comentário são um privilégio precioso.
Volte sempre é uma honra te receber em meu humilde espaço.
Um beijo de violetas.

Postagens mais Visitadas

O céu é de algodão doce.

Aves Místicas I - A Caçada

Sutil Feitiço

O Espantalho

Um perfume de lavanda e um sorriso glacê

Mãos e Pés Azuis