Seguidores

domingo, 5 de janeiro de 2014

Diga-me

 
Diga-me
Diga-me amor meu...
Que se aqui longe no portal tão distante
Onde o cosmo se abre para nossos sonhos
E o universo toca a harpa dos beijos plenos
O sentir da alma se faz em azul no mirante.

Diga-me amor se tanto sinto...
Que nas encostas das estrelas que brilham
A tocar-me em sintonia com teu calor
Em abraços que me chamam e acariciam
Na tua voz que vem ao som da lira
Num cortejo de sinfonias em minha alma.

Diga-me amor que se tanto te quero...
De onde te olho aqui da terra que me abriga
A pensar que o teu mundo é horizonte tão distante
Que me chega mesmo assim o teu bem querer
Na distancia que descortina a unir-se na aurora
Do meu bem sublime a embevecer.

Diga-me amor se do infinito da minha real existência...
Onde nosso amor é jardim em constante primavera
E nossos abraços belas cascatas etéreas
Que nossos beijos são complementos de luz na esfera
Da mais terna união das alianças em antigas terras
Que se estendem ao longe na mais bela quimera.

Diga-me amor se que mesmo estando assim tão longe
Recebes meu amor na luz da saudade infinita...
Diga-me amor, pois te amo ainda tanto dentro de mim
Em cor de uma ametista...
Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®
 
 
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço a visita!
A sua presença e comentário são um privilégio precioso.
Volte sempre é uma honra te receber em meu humilde espaço.
Um beijo de violetas.