Seguidores

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

A Margem do Sentir...

A Margem do sentir ...




O meu olhar na palma da mão
Nas linhas ouço a antiga canção
Não sei parar de andar no vale
Até que a margem do sentir iguale
A minha satisfação de ser humana.

Olho na prece do coração eleita
Cativa como flor de amor perfeita
Encanto-me nos contos purificados
Recordo  todos os hinos sagrados.

Ouço a delicada canção inspirada
A palavra, na palma da mão, sagrada.
O ser total, unificado tal qual sonata.
A lágrima , no silencio, cai em cascata...
Pulsante no deserto do meu peito.
Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®
Tradução feita pelo Poeta Juan Olivas
 do site Fórun Internacional Poesia Pura


Al Margen del sentir ...


Mi mirada en la palma de la mano
 

En las líneas oigo la antigua canción 
No sé parar de andar en el valle 
Hasta que el margen del sentir iguale 
Mi satisfacción de ser humana.
 

Ojo en la plegaria del corazón electa 

Cautiva como flor de amor perfecta 
Me encanto en los cuentos purificados 
Recuerdo todos los himnos sagrados.
 

Oigo la delicada canción inspirada
 La palabra, en la palma de la mano, sagrada. 

El ser total, unificado tal cual sonata.
 La lágrima , en el silencio, se cae en cascada... 
Punzante en el desierto de mi pecho.

 


2 comentários:

  1. Olá, querida
    Cativa como amor de flor perfeita...
    Precioso verso... dum belo poema...
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir
  2. Olá, querida
    Cativa como amor de flor perfeita...
    Precioso verso... dum belo poema...
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir

Agradeço a visita!
A sua presença e comentário são um privilégio precioso.
Volte sempre é uma honra te receber em meu humilde espaço.
Um beijo de violetas.