Sombras Aveludadas


Sombras Aveludadas


Corre um rio de alegria purpurina de mel
Há mais no coração que voa no anil do céu
A nostalgia vem como livres asas da recordação
Uma voz apertada na fluidez da pura elevação.

Correm nas mãos sombras aveludadas
Com um relógio circular girando alvoradas
No sol ocasional brilha a sensação afável
No labirinto eterno a lembrança inviolável.

No espelho do rio alma reflete as flores
Na água transmuta a vestal em amores
Com narcisos nas margens fazendo trilhas.

Rio da esmeralda a cor da esperança
No palácio das tuas águas reina a abastança
As violetas sorrindo vão adornando tuas ilhas.



Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®



Comentários

  1. Oi, Marli!
    Estou retomando minha rotina junto ao blog e voltando a rever os amigos...
    Como sempre, lindos poemas por aqui!
    Beijos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Agradeço a visita!
A sua presença e comentário são um privilégio precioso.
Volte sempre é uma honra te receber em meu humilde espaço.
Um beijo de violetas.

Postagens mais Visitadas

O céu é de algodão doce.

Aves Místicas I - A Caçada

Sutil Feitiço

O Espantalho

Poema musicalizado "Eu Escrevo"

Um perfume de lavanda e um sorriso glacê