Seguidores

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Pranto de Amor

Pranto de Amor

Uma só gota cai do orvalho da noite
Desliza na face clara como minguante
Lembrança que seduz festa da ribalta
Tempestade que se avista em noite alta.

A deusa lua vem movendo o nevoeiro
Clareando o rosto do passado arqueiro
Que com sua flecha rasga grande saudade
Abrindo as comportas do amor de verdade.

O meu sentir vibra em ilusões remotas
Como um barco em alto mar nas rotas
O abraço sedutor vem do ligeiro vento.

Mas que lágrima é esta caindo no convés?
Avisando que a realidade é terra do revés
No deserto ,o meu pranto de amor, só canto.

Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®


terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Fantasia

 
 
 
 Fantasia
(24/02/2004 01:54)  
O meu vestido voa na areia
Mareia nas cores das ondas
Sondas detalhes com o beijo do sol
Na cor do girassol voa inconsequente
Dança sensualmente na caricia do vento
Transparece em encanto ao longo do corpo
Marcando a silhueta nas cores clareia
Verdeia e cintila tocando a nudez dos pés
Ajusta-se no enviés perfeito e acaricia a pele
Nos contornos a te olhar sempre sem pressa
Em baixo das vestes fazendo promessas
E às avessas se descobrem com enigmas
Paradigma que aguça o teu silencio
Ao desafio que vem pedir sem tempo
O passatempo do tecido que mais deseja.
Da alma translúcida que almeja
Na colorida organza nua...
Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®
 


quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Chão Ardente




Chão Ardente
Convido-te para sentir poesia e mais nada...
Um perfume do Éden pairando na enseada
Em silencio se unindo a divindade do Amor
A alquimia transmuta na essência do fulgor.

Convido-te a ouvir a voz do verso latente
Na noite caindo em linhas de chão ardente
A lua no beiral do tempo bela desfalecendo
E o universo em única espiral se movendo.

Ao terminar cuidado na noite não tropece...
Adormeça na rede poética, pois logo amanhece.
Rodeando tua alma a palavra te abraça.

Flui nas mãos o fogo do verbo, o sentir...
Um sol que se solta, a Poesia é o eterno elixir.
Pulsa o coração feito canção em ti se entrelaça.
Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®





sábado, 9 de novembro de 2013

Ainda...

 
Ainda... 
 
Ainda que o tempo passe,
as estações mudem
e a saudade aperte...
Ainda que os dias e as noites
sejam algemados no cotidiano
dilacerando desejos...
Ainda que não tenha confissões
e nem juras...
Na voz dos versos
o som das harpas fluirá
movendo o ar da criação,
Na alma será chuva de estrelas
gestando a inspiração da vida.
Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®
 


terça-feira, 29 de outubro de 2013

Casa Sem Telhado

Casa Sem Telhado

Havia sim paredes de lembranças tantas
Sorrisos e conversas de ágata quantas
As estórias sem fim na branca colina
Nos jarros as flores com água cristalina.

Havia sonhos e perfumes do futuro
Realização surreal hoje configura
As alegrias nas paisagens verdejantes
Num céu sem fim de estrelas vicejantes.

Nas janelas o canto das folhas com vento
A chuva riscando no verniz da porta o alento
Na sala sombras do abajur lembrando jasmim.

A fé incrustada no coração parecia uma lua
Iluminava o passeio noturno da saudade na rua
A casa sem telhado  recorda o céu voando  assim.


Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®


 




sábado, 5 de outubro de 2013

Centésimo Soneto ... Luvas de Letras

Centésimo Soneto... Luvas de letras

A escrita é a arte que o sentir movimenta
O magma da alma é a alforria que sustenta
No dia ou noite a pulsante poesia desvenda
A lágrima é estrela iluminada da oferenda.

Olhei água transmutada em oásis no pranto
No lago  fui deusa livre na estrofe do acalanto.
 Na emoção sentida  uma passageira da fortuna
No afago do universo,  senti o presságio das runas.

Andei no silencio e na areia fina do deserto
Luvas de letras vesti com alma em evolução
Escondi um soluço, o mito na paz do coração.

Foi franca a paixão ao verbo meu amuleto
Verteu a palavra no meu centésimo soneto
No movimento do éter o meu  verso liberto.
Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®

*Dedico este soneto
 a todos visitantes
 do meu jardim  poético.