Enseada do Camafeu

 Enseada do Camafeu

Oh! Meu doce Poeta a escuridão é azul.
Forrada de estrelas até o luar é convite taful
Lá estão capítulos sem fim da civilização
No centurião dos enredos da viva paixão.


Oh! Meu doce Poeta a tua voz é diamante
E o coração do Poeta pulsa no verso galante
Faz emboscada na enseada do camafeu.
Como não ser Eurídice se você vem de Orfeu?


A saudade é o romance vivo do universo
Quando chego quero te ver em mim imerso
E te deixar a querer mais ser meu eterno luar.


Que seria dos desbravadores se desistissem
Dos sonhos e se os homens sem poesias ficassem...
A palavra seria sem a água da vida e sem o verbo amar.


Marli Franco

Direitos Autorais Reservados® 
 


Comentários

  1. Belo soneto; belo arranjo poético.
    Ótima semana!

    ResponderExcluir
  2. "E te deixar a querer mais ser meu eterno luar"...\o/

    coisa linda, Marli!

    ResponderExcluir
  3. em soneto e ficou muito bem
    um hino que eu gostei
    um beijo

    ;)

    ResponderExcluir
  4. Marli,
    O que lhe dizer, a não ser que esse teu soneto é embriagador...
    Boa semana, cara amiga.

    ResponderExcluir
  5. Muito bonito Marli.
    Agradeço o comentário deixado no Um olhar de confissão. Obrigada pela gentilesa.
    Uma feliz semana a ti também!
    Beijo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Agradeço a visita!
A sua presença e comentário são um privilégio precioso.
Volte sempre é uma honra te receber em meu humilde espaço.
Um beijo de violetas.

Postagens mais Visitadas

Poema musicalizado "Eu Escrevo"

Plataforma Dourada

Aves Místicas I - A Caçada