Seguidores

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Cais da Saudade


Cais da Saudade

Quando o teu beijo me devastou
Vi que o céu iluminou e a terra resgatou
A praia se transformou em doce lacuna
O teu abraço de espumas carregou-me na escuna.


Se o dia e a noite se encontram parece o infinito
Como nosso desejo fluindo no encanto bonito
A exaustão prova que o tempo não importa mais
Quando o amor é o bem maior não se acaba jamais.

Olhe no fundo do mar o reflexo da lua prateada
É assim que te espero na ilha da palavra amada
Ancorada deixo minha nau no cais da tua saudade.

Mas quando por ventura cansar de me esperar
Não esquece que depois da noite vem o dia aflorar
Sou eu que amanheço junto de ti feito rimas da claridade. 
 
Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®

 


3 comentários:

  1. Lindissimos versos, onde o lirismo e o amor imperam!
    Parabéns!! Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Olá Marli,bom dia!
    Venho, com muita satisfação, lhe comunicar que foi feita hoje a Abertura das apresentações do 1º Contos e Prosas.
    Tenhas um ótimo fim de semana.
    Um abraço e até mais!

    ResponderExcluir

Agradeço a visita!
A sua presença e comentário são um privilégio precioso.
Volte sempre é uma honra te receber em meu humilde espaço.
Um beijo de violetas.