Seguidores

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Ventre da Poesia


Ventre da Poesia

Os meus olhos te seguem como estrela silenciosa...
Toca tua sombra com a luz da minha aura rosa,
Deixo beijos em tua boca se te encontro distraído
E te abraço com alegria quando te vejo absorvido.

Os meus olhos invadem tua alma excitante
No absoluto da tua criação, hora embriagante
Quando só você e eu sabemos postar as mãos
No papel poético irreverente da nossa emoção.

Olhe-me assim na luz do Amor é a hora
Do sentimento nostálgico, folhas de hortelã
Que exalam o desejo de um beijo temporã.

Renasce na alma a estória no fractal do agora...
Urgência exuberante, a essência de sermos inspiração
Germinarmos no ventre da poesia, o nosso coração.
Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®





Um comentário:

  1. Amor, poesia, paixão, como precisamos dessas urgências. Como fazem o mundo girar em outra órbita.
    Eu fui aos Poetas de Marte, à convite do Marcell, e foi uma beleza ler-te lá e cá.

    Abraços!

    ;)

    ResponderExcluir

Agradeço a visita!
A sua presença e comentário são um privilégio precioso.
Volte sempre é uma honra te receber em meu humilde espaço.
Um beijo de violetas.