As Minhas Mãos

As Minhas Mãos

Olhe para minhas mãos ...Veja os sentimentos

Na minha alma suave de bonança e tormentos

Veja em meus dedos as emoções do anoitecer

Aquelas que me carregam para ti escrever...



Olhe em minhas mãos ...Veja na palma pálida

Que tanto contraria a cor da fantasia proibida

Asfixiada pela nostalgia de ser a contemplação

Das cores que decretam as digitais da solidão...



Não quero que intérprete meus dedos de tristeza

Os artelhos pintam amanheceres, papel da natureza.

E desperta em meus lábios sorrisos das ilusões olivais.



Veja o menear leve dos meus dedos em panfletos

No pulso das finas ilusões as pulseiras dos afetos

Ao dirigir as mãos no coração então... Amo-te ainda mais...


Marli Franco

Direitos Autorais Reservados®


Tradução feita pelo
  Poeta Iben Xavier Lorenzana ,do Foro Revista Alaire, 
  a quem agradeço de coração.


Mis Manos

Mira hacia mis manos...Ve los sentimientos

En mi alma suave de bonanza y tormento

Ve en mis dedos las emociones del anochecer

Aquellas que me cargan para escribirte...



Mira en mis manos...Ve en la palma pálida

Que tanto contraría el color de la fantasía prohibida

Asfixiada por la nostalgia de ser la contemplación

De los colores que decretan las digitales de la soledad...



No quiero que intérpretes mis dedos de tristeza

Los artejos pintan amaneceres, papel de la naturaleza.

Y despiertan en mis labios sonrisas de las ilusiones olivares.



Ve el menear ligero de mis dedos en panfletos

En el pulso de las finas ilusiones las pulseras de los afectos

Al dirigir las manos en el corazón entonces... Te amo más aún...




Comentários

Postagens mais Visitadas

Sutil Feitiço

O céu é de algodão doce.

Tarde Poética

Asas

Perfume de Poesia

O Espantalho

Um perfume de lavanda e um sorriso glacê