No varal do nada...


No varal do nada...

 

Eu quero ficar nua deitada na areia no verão ao amanhecer.
Ver uma pipa e voar junto das aves, nas nuvens renascer...
Dar um tempo ao tudo, deixar suspenso o relógio, divagar...
E a lua me vestir de prata, no varal do nada me pendurar.

Eu quero ter o cello no coração, o arco afinar a minha canção.
Sentir o som escapando das cordas, quebrando a solidão...
Acordando o silencio, tingido de ilusão neste passeio surreal;
Fazendo brincadeiras em meu ouvido com beijinho musical .


Quero compor tudo que falei e que escrevi em papel em branco.
Traço no fio do espaço, o mundo de ponta cabeça é saltimbanco.
Sorrio é aí que fica a fonte, onde mora a luz d’alma, a quimera.
Brinco de elevar a pipa ao infinito do céu em dia de primavera...


Saúdo a manhã antes do meio dia, agradeço a vida com honras.
Sorrio o céu esta filmando,o sol me abraçando cheio de graças...
Recebo o beijo da brisa ela vem para me alegrar em glória...
O meu eu sente as partículas do cosmo, caindo na Poesia...

Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®

Comentários

Postagens mais Visitadas

Sutil Feitiço

O céu é de algodão doce.

Poema musicalizado "Eu Escrevo"

Tarde Poética

Asas

Perfume de Poesia