Escrituras



 
Escrituras

Nas escrituras do silencio...
As letras são as vozes dos madrigais,
Os verbos dançam com o sopro dos ventos.
Tingidas as sílabas são mansos trigais,
A palavra segue na tipografia do infinito...


 

Nas escrituras da ausência...
Os caracteres aparecem na aurora.
Lembram com exatidão os juramentos,
Os sacramentos e nas margens do destino
Confiscam a saudade na gravura das mãos.




Nas escrituras da solidão...
A serenidade nasce do balsamo do coração.
Quando a criação acompanha sinfonias,
No vão dos pensamentos nascem sussurros
Lentos passos das estórias de nostalgias.


 

Nas escrituras do nada...
Quando a madrugada liberta a profecia
O versículo da lua desvenda o tudo...
No painel das estrelas, riscos das confissões.
Na capa os sonhos, em um deslize ousado.
No final do livro a revelação, a voz da paixão.
O Amor enfim, na escritura glorifica.

Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®











Comentários

Postagens mais Visitadas

Sutil Feitiço

O céu é de algodão doce.

Poema musicalizado "Eu Escrevo"

Tarde Poética

Asas

Perfume de Poesia