Cítara


Cítara

O teu soneto chega de mansinho

Vem bem ciente do meu olhar

Mostrar tua maestria e encantar

A magia carrega em redemoinho.

 
Eu me apresento na estrada contente

Na luz do teatro divago ouvindo a cítara

Sem esquecer as pinturas da máscara

Deixo minha íris te alcançar frente a frente.


O céu cai no teatro na peça tinge azules

Na platéia estrofes manifestam em luzes

No palco para ti espelho em prosa clara.




Mas as estrelas resolvem também assistir

A peça se faz rir e sonhar querendo aplaudir

E na prosa um soneto escapa da tua citara.




Marli Franco
Direitos Autorais Reservados®

Comentários

Postagens mais Visitadas

Poema musicalizado "Eu Escrevo"

Plataforma Dourada

Aves Místicas I - A Caçada